Saúde pública

Taxonomia

Código

Nota(s) de escopo

Fonte

Exibir nota(s)

Termos hierárquicos

Saúde pública

Termos equivalentes

Saúde pública

Termos associados

Saúde pública

484 descrição arquivística resultados para Saúde pública

484 resultado(s) diretamente relacionado(s) Excluir termos relacionados

Consultor do Ministério da Saúde do Brasil

  • BR RJCOC ED-RI-PC-10.v.1-v.2
  • Dossiê
  • 1986 - 09/02/1994
  • Parte de Eduardo Costa

Reúne gráficos, apontamentos, planos de ação, tabelas, ofícios, relatórios de atividades, termos de adesão, cronogramas, informativos, memorandos, propostas, avisos, cartas, atestados médicos, cartas circulares, formulários, mapas, entrevistas.

Coodenador do Departamento de Saneamento e Saúde Ambiental da Escola Nacional de Saúde Pública

  • BR RJCOC SZ-GI-AI-03.v.1-v.3
  • Dossiê
  • 10/02/1976 - 10/1994
  • Parte de Szachna Cynamon

Portarias, memorandos, cartas, nomeações, ofícios, listas de funcionários, relatórios, catálogos, cartas-circulares, comunicados, instruções normativos, programas, apontamentos, organogramas, ordens de serviços, termos de responsabilidade, memorandos circulares, circulares internas, convites, dissertações, projetos de lei, propostas, projetos, manuais, anais.

Coordenador do Museu da Vida

  • BR RJCOC GA-GI-AI-02
  • Dossiê
  • 1995 - 27/10/1998
  • Parte de Paulo Gadelha

Dossiê: Fiocruz pra você; cartas; relatórios de atividades; propostas; memorandos; mensagens por faz; atas e reunião; pautas de reunião; croquis; desenhos; diretrizes; fotografias; programas de evento; projetos; prospectos; informativos.

Coordenador do Projeto Análise Institucional da Enfermagem na Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Publicações, revistas, artigos científicos, informativos, registro de evento em fita cassete, relatórios de atividades, quadro demonstrativo com tema para entrevista, programas de eventos, ensaios, prospectos, programas de evento, ficha de avaliação, apontamentos, carta, entrevistas, fichamentos, índices, listas (listas de referência bibliográfica, listas de temas para conferência), projetos de pesquisa, propostas, recortes de jornais, roteiro de entrevistas, transparências.

Coordenador do Projeto de Pesquisa Epidemiológica sobre Hipertensão Arterial

  • BR RJCOC ED-DP-CP-01.v.1-v.6
  • Dossiê
  • 30/08/1966 - 1993
  • Parte de Eduardo Costa

Reúne: microfilmes, mapas, tabelas, gráficos, projetos, ofícios, recibos, relatórios de atividades, transparências, relatórios de pesquisas, cartas, roteiros de pesquisa, questionários de pesquisa, apontamentos, ensaios, balanços do projeto, cartões perfurados de dados estatísticos, diapositivos, fichas de controle, fichas de leitura, folhas de codificação, formulários de apresentação de projetos, fotografias, listas de códigos, listas de nomes de funcionários, manuais, programas de evento.
Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT); Etheline Margareth Lewis; Jurema Pureza Valente

Coordenador do Projeto de Pesquisa sobre a vacinação anti-meningocócica

  • BR RJCOC ED-DP-CP-03
  • Dossiê
  • 1973 - 22/10/1994
  • Parte de Eduardo Costa

Reúne: gráficos, mapas, tabelas, ensaios, listas de indivíduos vacinados e com coleta de sangue, certificados, questionários de pesquisas, cartas, resultados de exames, ofícios, apontamentos, requisições de serviços, projetos de pesquisas, listas de referências bibliográficas, transparências, diapositivo.

Decretos

  • BR RJCOC ED-DP-LP-04
  • Dossiê
  • 21/01/1961 - 11/1980
  • Parte de Eduardo Costa

Decretos

  • BR RJCOC HL-DP-LP-13
  • Dossiê
  • 22/05/1970
  • Parte de Herman Lent

Departamento Nacional de Endemias Rurais (DNERu)

  • BR RJCOC CE-GI-01.v.1-v.4
  • Dossiê
  • 1935 - 06/05/1970
  • Parte de Celso Arcoverde

Quadros demonstrativos, tabelas, gráficos, mapas, cartas, recortes de jornais (Tribuna Médica, O Jornal, Estado de Minas), manuais, relatórios de atividades, relatórios de reuniões, folhetos, artigos científicos, ofícios, publicações, noticiários, revistas (Revista Brasileira de Malariologia e Doenças Tropicais), jornais, aerogramas, pareceres, ensaios, portarias, requerimentos, normas, agendas, diagramas, apontamentos, informativos, decretos, apostilas de curso, discursos, estudos de caso, formulários, inquéritos, organogramas, telegramas, listas de médicos, atas de reunião, fotografias, negativos flexíveis, e desenhos.
Os documentos iconográficos foram produzidos e acumulados no decorrer da realização das campanhas sanitárias realizadas pelo DNERu, destacando-se as campanhas contra o tracoma, a doença de Chagas e a esquistosomose.

Depoimento oral do projeto Políticas Nacionais e Programas Internacionais de Saúde em Perspectiva Histórica e Comparada (Brasil, 1958-1973)

Resumo: O projeto reúne um depoimento e está inserido na linha de pesquisa que versa sobre os programas internacionais e políticas nacionais de controle e a erradicação da malária no Brasil entre as décadas de 1930 e 1980. Os resultados em termos de produção, orientação, apresentação de trabalhos e intercâmbios com grupos e pesquisadores que discutem temas semelhantes para outros países, sugerem uma ampliação do escopo de pesquisa e análise na direção da comparação entre programas, do alargamento da dimensão temporal e espacial e do aprofundamento da discussão conceitual sobre as relações entre agendas internacionais e nacionais na formulação e implementação de políticas públicas em perspectiva histórica. A análise das políticas brasileiras de combate à malária a partir de 1941 indica grande oscilação entre a sua autonomia, capacidade de inovação e a recusa a aderir ao programa de erradicação da OPAS/OMS/Unicef até o completo alinhamento com as orientações internacionais na década de 1960. A pré-existência ou não de políticas nacionais e de comunidades de especialistas, as variações na conjuntura internacional e nos regimes políticos, e a disponibilidade de recursos e os condicionantes do financiamento parecem explicar, em grande parte, a trajetória desses programas no Brasil. Nos últimos anos, o campo da história saúde internacional tornou-se sujeito e objeto de um renascimento acadêmico. Os estudos sobre a saúde internacional, suas motivações, princípios, prioridades e paradigmas - e sua estrutura dual de saúde pública e política internacional - têm gerado um debate saudável. Eles apontam sempre a centralidade do campo de estudos para relações internacionais atuais e passadas, para a compreensão das condições de saúde em nível local e nacional, e para as políticas públicas. Apesar desse renascimento, parte dos trabalhos acadêmicos nessa área ainda tende a partir da análise das "supra-instituições" da saúde internacional. A linha de pesquisa histórica na qual esse projeto está inserido analisa a saúde internacional no decorrer do século XX através de diferentes lentes e como uma arena dinâmica na qual atores locais, autoridades nacionais, pesquisadores e especialistas em políticas públicas, médicos, populações, profissionais transnacionais e agências internacionais interagem, modelam-se e remodelam-se uns aos outros. Os estudos históricos recentes têm demonstrado essa interação, ainda que muitas vezes baseada em relações assimétricas, produz resultados e processos diferentes e não antecipados no momento de sua formulação. O Brasil apresenta um panorama favorável ao estudo de ideologias, instituições e práticas de saúde internacional, dadas as preocupações com saúde pública enraizadas não só nos projetos de Estado-Nação, como nos movimentos políticos, nas idéias e nas instituições educacionais e culturais. A região também tem um precoce e longo envolvimento com a arena internacional a partir das conferências sanitárias ainda no século XIX, da criação da Repartição Sanitária Pan-Americana, depois OPAS, em 1902 e do profundo envolvimento na região da Comissão Sanitária Internacional da Fundação Rockefeller. Desse modo, a proposta central do projeto é de um estudo comparativo entre o programa brasileiro de erradicação da malária (1958-1970) e um outro programa, mais bem sucedido em escala nacional e global, como o da erradicação da varíola (1966-1973) pretende avançar tanto no conhecimento sobre a história dessas políticas e programas, como da compreensão da inserção do Brasil da segunda metade do século XX no campo da saúde internacional. Essa pesquisa no que diz respeito a formação de especialistas para os programas está integrada ao Observatório História dos Recursos Humanos em Saúde (COC-OPAS-Segets/MS). Do ponto de vista metodológico essa pesquisa utilizará fontes documentais em arquivos no Rio de Janeiro, Brasília, Washington D.C., Toronto e Genebra. Foi realizada uma entrevista com Reinaldo Felippe Nery Guimarães, em 05/09/2008, com cerca de 1h20min de gravação.

Depoimentos orais do projeto Brasil um imenso hospital: ideias e políticas de saúde na invenção do Brasil

Reúne 7 depoimentos. A importância de interpretações sobre a vida social presentes em textos médicos tem sido crescentemente reconhecida em estudos históricos, sociológicos e antropológicos e encontrou uma de suas mais precisas definições na ideia da Higiene como uma ciência social aplicada. No caso do Brasil, principalmente a partir da década de 1980, relatórios, artigos e livros escritos por médicos nos séculos XIX e XX vêm sendo valorizados como referência fundamental para a análise de temas como família, gênero, sexualidade, raça, contrastes culturais, sociais e econômicos, construção da nacionalidade, modernização e desenvolvimento do país. Entre os retratos do Brasil esboçados por médicos e que se tornaram marcos simbólicos de grande poder explicativo a influenciar a imaginação social e política, destaca-se a metáfora do “imenso hospital”. A expressão cunhada em 1916 por Miguel Pereira repercutiu fortemente tanto nas interpretações intelectuais sobre a nacionalidade, quanto nas propostas de políticas públicas de saúde. Tornou-se um emblema das posições críticas à ordem social e política da Primeira República e foi apontada como marco de origem do movimento pelo saneamento rural. A história da metáfora do Brasil como imenso hospital, seus antecedentes, seu impacto nos debates intelectuais e nas políticas públicas de saúde no Brasil até a década de 1960 foram os principais objetos deste projeto. Pretendeu-se argumentar que sua expressividade simbólica e sua referência para a atuação política devem ser analisadas tanto no contexto do movimento sanitarista da Primeira República como em momentos posteriores.

Depoimentos orais do projeto Constituição de acervo sobre a elaboração e implementação de políticas prioritárias do INAMPS

Reúne 16 depoimentos orais cujas entrevistas obedecem a critérios temáticos referentes às políticas prioritárias do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social (Inamps) entre 1985 e 1988. Os temas referem-se à reforma sanitária, universalização e equalização do atendimento, humanização das ações assistenciais, combate à fraude e à corrupção, ciência e tecnologia, dentre outros temas.

Depoimentos orais do projeto História do Câncer: Atores, Cenários e Políticas Públicas

Reúne 29 depoimentos sobre aspectos diferenciados do controle do câncer no Brasil. O projeto se articula ao esforço mais geral da Fiocruz de ampliar suas ações no campo das doenças crônico-degenerativas e negligenciadas. Além disso, visa contribuir para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo ao produzir conteúdos pertinentes à formação de recursos humanos para a Rede de Atenção Oncológica e integrar-se a uma rede de produção de conhecimentos e tecnologias em parceria com o Instituto Nacional de Câncer. Por fim, deve ser visto como uma contribuição ao campo da história das ciências e da saúde, em particular ao campo da história das doenças. O projeto no geral tem uma parte de pesquisa histórica, documental, iconográfica e de história oral. No que se refere aos depoimentos, procura registrar as falas de personagens importantes para a história do controle do câncer no Brasil. As entrevistas, gravadas em áudio e vídeo, representam uma fonte inestimável para o resgate e a preservação da memória dos principais atores, instituições e política públicas desenvolvidas ao longo das décadas sobre o controle do câncer. Neste projeto, temos algumas palestras proferidas sobre aspectos ligados ao câncer e suas políticas, controle e história que foram ministradas para os integrantes do grupo de pesquisa que igualmente fazem parte do acervo.

Depoimentos orais do projeto Memória da saúde pública no Brasil

Reúne 14 depoimentos orais. Este projeto teve por objetivo analisar historicamente o desenvolvimento institucional da saúde pública no Brasil. Por meio da coleta de entrevistas procurou-se recuperar as trajetórias individuais de médicos sanitaristas que se destacaram enquanto atores na história da saúde pública brasileira e contribuíram na definição de políticas públicas para o setor saúde no período compreendido entre os anos de 1930 e 1980. A investigação originou também um instrumento de pesquisa intitulado Cronologia de atores, instituições e políticas de saúde.

Diários

  • BR RJCOC HU-DP-PP-01
  • Dossiê
  • 1937 - 1938
  • Parte de Hugo Laemmert

Resultados 91 a 120 de 484